♥ Dia internacional da mulher

Hoje escutei um comentário assim: ah, vocês querem igualdade de salário, de direitos, mas ainda assim querem que nós [homens] abramos as portas do carro para vocês.

Ora bolas. Não sou a mulher mais favorável à criação desse dia, apesar de compreender perfeitamente o que ele significa, mas também não é assim. Estamos falando de coisas diferentes.

As mulheres querem igualdade de direitos no que tange a capacidade intelectual e social. Por exemplo, na disputa de um alto cargo de uma empresa, em que são exigidas determinados conhecimentos específicos para exercer aquela função, e ambos os candidatos, homem ou  mulher, possuem esses conhecimentos, me diga por que o homem geralmente ganha mais do que a mulher se ambos têm a mesma capacidade intelectual?

Agora isso de abrir a porta do carro para a mulher não é a igualdade que elas estão buscando. É simplesmente um mimo que o marido faz a sua esposa. Da mesma maneira que ela lava o terno dele com mais cuidado, ou cuida da alimentação da casa de maneira mais saudável para ajudar na saúde. Isso são mimos, demonstrações de afeto e de carinho que cada casal organiza da melhor maneira entre si. Não é igualdade de direito. Os afetos damos quando queremos e para quem queremos, os direitos devem estar implícitos e devem ser iguais para todo o ser humano, seja ele homem ou mulher. 

♥ Dia internacional da mulher ♥ 

Não devemos lembrar a sociedade de que as mulheres têm os mesmo direitos que os homens dedicando um dia especial a isso. Isso não deveria nem ser questionado. Por isso não sou tão a favor desse dia, mas, mais uma vez, entendo sua representação histórica.

Meu ponto aqui é o seguinte: não é justa a comparação de que as mulheres querem os mesmos direitos e ainda assim querem ser paparicadas pelos homens. Direitos e carinhos são coisas distintas: os direitos são inerentes a nossa condição humana; o carinho não, faz parte de uma relação de afeto recíproco entre o casal.

Para mim há certos papéis que são característicos das mulheres (podem me chamar de machista por isso, tudo bem, só acho que estou respeitando nossas diferenças), como cuidar da educação das crianças, manter a organização da casa, etc. Isso não quer dizer que seremos donas-de-casa, que não devemos trabalhar fora de casa, apenas que desses assuntos entendemos mais que os homens (pelo menos a maior parte das mulheres, claro).

Assim como há papéis que são preferencialmente desempenhados pelo homem: levar o carro na oficina, trocar uma lâmpada, um gás, pagar a conta do restaurante, etc. isso também não quer dizer que a mulher não possa contribuir um pouco com o orçamento da casa, ou que o homem não possa ficar com as crianças para a esposa participe de uma reunião importante no trabalho. Esse equilíbrio de tarefas e de obrigações é que nos torna iguais em direitos e deveres. Não estamos falando de dar ou não dar carinho. Claro que agora estou falando do âmbito interno (casa) porque no âmbito externo (o social), a igualdade deve ser seguida a risca, uma vez que socialmente falando não há diferenças entre homens e mulheres.

♥  Respeitando as diferenças ♥ 

Ai me vem um cidadão e fala assim: ah, mas e a licença maternidade, como fica? 
Ora, fica como está!

A mulher tem desse direito mais estendido, digamos assim, porque possui as condições físicas para desempenhar esse papel e o homem não possui. É a mesma coisa de se comparar a força física do homem a força física da mulher. Ora, o homem foi feito com mais força física e é por isso que é ele quem está mais apto para arrastar o sofá. Assim como é a mulher que deve amamentar.

Fomos feitos diferentes para exercermos necessidades diferentes quando estamos desempenhados nossos papéis como gênero e também nos complementamos em razão disso. E não tem nada de mais nisso. As mulheres não são inferiores por isso. É a nossa natureza. Ponto.

Então, não me venha dizer que as mulheres não precisam de mimos porque buscam os mesmos direitos. Se os maridos bem soubessem o tanto que um mimo bobo, simples e barato – como abrir a porta do carro, levar um chocolatinho de vez em quando – deixa a esposa mais animadinha em vários aspectos, faria disso uma rotina. 

beijos e beijos e até o próximo #diainternacionaldamulher

Nenhum comentário

Postar um comentário