Coaching para crianças de 2 anos

Meus filhos fazem atividades extras: natação e Kumon. Sei que há outras crianças que frequentam muito mais aulas: futebol, inglês, ballet, etc. Agora imagine só você treinar liderança, confiança e pensamento crítico numa criança de 2 anos?

Particularmente não vejo problema algum nesse tipo de treinamento. Para mim é mais uma habilidade, entre tantas outras, que nós, pais, estamos desenvolvendo em nossos pequenos, como a habilidade de escrever, de ler, a coordenação motora, a musicalidade. 

Você não colocaria seu filho em uma dessas atividades? Eu sim.

São habilidade que não são trabalhadas na escola, por exemplo. E por que não? Por não treinar, exercitar a educação financeira, a criatividade, autocrítica? Acredito mesmo que esses conceitos possam fazer a diferença lá na frente. Claro, tudo sendo trabalhado na devida proporção que a maturidade de uma crianças de 2 anos suporta/permite.

O que temos que observar é o excesso dessas atividades de contra turno, sejam elas no esporte (judô, natação, futebol), na música e no aspecto intelectual também, como o coaching. Claro que a criança deve ter tempo (e muito) para brincar e para fazer ´nada´. E é responsabilidade dos pais saberem dosar os estímulos que são oferecido apara os pequenos.

Resolvi fazer esse post porque já escutei muitos pais dizendo que hoje em dia as crianças estão sobrecarregadas de atividades, que devemos deixá-las ser crianças. Olha, eu concordo plenamente: devemos deixá-las ser criança. Mas oferecer de maneira equilibrada possibilidades de elas explorarem suas habilidade (física e mental) não me parece um exagero. 


Do ponto de vista do desenvolvimento neurológico, há vantagens. “O técnico em coaching mostra não só como superar uma dificuldade, mas também o potencial, do que a criança é capaz. Não é só ensinar, é provocar na criança um desafio”, explica Marta Pires Relvas, psicanalista e psicopedagoga, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento.

O especialista em coach, segundo Marta, aproveitaria as chamadas janelas de aprendizado, período em o cérebro está mais apto a aprender e que acontece justamente na infância. Existe uma área no nosso cérebro (chamada de límbico-emocional) que, quando estimulada, provoca a produção de um neurotransmissor específico. Ele estimula a oxigenação nas células neuronais. Todo esse processo, que é especialidade do coach, facilita o aprendizado. “Mas isso deve ser realizado de forma positiva, lúdica, em tom de brincadeira. Sem pressão”, diz.



O fato é que não existe consenso entre os especialista e muito menos entre os pais. Mas, acho que sempre vale o equilíbrio na vida. Aliás, essa é uma lição que merece ser ensinada bem cedo para os pequenos, não acham?




É isso meninas. Achei importante trazer esse tema aqui porque também tenho muitas dúvidas com relação a essas atividades extras, mas, como disse, procuro sempre o equilíbrio... em tudo!  :) 

Para saber mais sobre o assunto:


Revista Crescer: 


Estadão: 

FasTraKids: (uma rede que oferece cursos de coaching para crianças de 2 a 8 anos


beijos e beijos,

Cidália Sant'Ana

Este post não é publieditorial.



Nenhum comentário

Postar um comentário