Discurso mais positivo

De uns tempos pra cá tenho tentado ser mais positiva no meu discurso com meus pequenos e tenho percebido que algumas coisas têm funcionado melhor.

Explico-me: tenho tentado dizer o que preciso sem usar a palavra 'não'. Sei que isso não é novidade, há vários artigos na literatura que tratam do assunto, mas nunca tinha colocado em prática e estou sentindo uma dificuldade moderada nisso. Claro que nem sempre consigo, volta e meia esqueço ou não tem jeito mesmo uso a palavra (também não vou abolir do vocabulário, né?), mas tenho tentado mudar o discurso na prática assim:


1. Ao invés de "não seja grosseiro"
    digo
    "seja mais gentil"

2. Ao invés de "não corra"
    digo
    "vá devagar"


3. Ao invés de "não grite!"
    digo
    "fale mais baixo"


4. Ao invés de "não faça xixi no chão"
    digo
    "corre pro banheiro que o xixi está saindo"


Não tenho nenhuma comprovação científica de que estou tendo uma postura que fará alguma diferença positiva no futuro, mas acredito fortemente que sim! O que pode chegar mais próximo disso que estou falando é a disciplina positiva, veja aqui um artigo bem legal que explica o conceito.

Olha só uma breve comparação entre a disciplina positiva e a negativa (em espanhol):





Fonte: http://club.ediba.com/esp
disciplina-positiva-en-la-escuela/


Acredito mesmo que apresentar um posicionamento mais positivo dos assuntos e do discurso é oferecer um lado mais leve e suave da vida (sei que não existe apenas este, mas a vida apresentará o outro lado para eles). Ter um apostura mais positiva faz toda a diferença (pelo menos EU acredito nisso), então por que não começar com o meu discurso? 

Percebi (observação da minha própria experiência) que quando meu mais velho vai falar com minha mais nova, ele também procura usar palavras mais positivas. E minha pequena, quando conversa com as bonecas, também usa mais palavras positivas, muitas vezes me imitando (ou ao pai). 

Claro que eles também imitam as coisas ruins (perco a paciência às vezes como todo mundo), mas procuro me policiar para que isso não aconteça na frente deles.

Vi benefícios principalmente nos momentos de transição: retirada de fralda, chegada de um irmão, hora do sono. Não é que essas fases ficaram mais fáceis por causa disso, mas senti que ficou mais leve, menos carregado. E elas passaram com menos traumas, trabalho (para nós, pais) e dificuldades.

Acho mesmo que os pequenos detalhes fazem a diferença no dia a dia, mas não é fácil, quero dizer, é difícil (agora sem o "não", rs). 

Então, como costumo dizer: viva positivamente!


beijos, beijos e até o próximo post


Cidália

Nenhum comentário

Postar um comentário