Perdi o primeiro dentinho do meu filho: e agora?

Nenhum comentário
Meu filho mais velho vem perdendo os dentinhos, já está no terceiro. E aconteceu um fato muito interessante na queda do primeiro dente. Estávamos no supermercado e, de repente, eu escuto:
 - Mãe, meu dente caiu!

Me desesperei na hora por dentro: o primeiro dente dele caiu no supermercado??? Não acredito! E agora, como vou achar isso nesse lugar enorme???

Mas não podia deixar transparecer que estava desesperada e morrendo de raiva. Justo eu, que guardo o primeiro de qualquer coisa que vocês imaginarem: mecha de cabelo, trabalhinho, pintura, etc. Não ia guardar justamente o dentinho!!??? 

- Não se preocupe, meu filho, disse bem calma como se soubesse o que estava fazendo. Vamos voltar e achar seu dentinho. Vai dá tudo certo.

Já estávamos na filha para pagar do supermercado lotado. Virei para trás e fiz minha cara de mãe-mais-preocupada-do-planeta e disse:

- O senhor poderia guardar o nosso lugar? (no plural para ele se comover porque eu estava com uma criança). É que o primeiro dentinho dele acabou de cair e queríamos voltar lá para procurar.

Ele me olhou com um cara de peninha e disse:

- Claro, vá tranquila.

Saímos correndo para a sessão que meu filho achava que perdeu e quando chegamos havia uma máquina carregando as prateleiras (era um atacadão, sabe?). Ela podia já ter esmagado o dente dele, fora que a maior parte da sessão estava interditada, não podíamos entrar para procurar. Começamos a procurar como se ninguém estivesse ali e logo logo alguém perguntou:

- O que estão procurando?

- O dente do meu filho, respondi. É o primeiro dentinho dele e achamos que caiu por aqui em algum lugar.

Prontamente os trabalhadores da sessão desligaram a máquina e em menos de cinco minutos estávamos todos procurando o bendito dente. Infelizmente não achamos.

Voltamos para a fila e eu pensando: o que é que eu vou fazer agora? Como a fada do dente vai trazer o dinheiro para ele se não temos mais o dente? O dente estava mole há um tempão e sempre contamos a versão clássica da história do dente debaixo do travesseiro. 


Assim que terminei essa frase no meu pensamento ele vira para mim com os olhos cheio de lágrimas e pergunta:

- Mamãe, será que a fadinha do dente vai me dá o dinheiro? Eu não tenho meu dente para colocar debaixo do travesseiro.

Na mesma hora me veio um insight que acredito que só mãe tem nessas horas

- Claro que vai, meu amor. Sabe o que nós vamos fazer? Vamos escrever uma cartinha para ela explicando o que aconteceu. Tenho certeza que ela vai entender. Afinal, ela vê tudo, não é mesmo?

Na mesma hora as lágrimas que estavam quase caindo dos olhinhos dele voltaram-se para dentro e ele me deu um sorriso mais gostoso do mundo:

- É mesmooo. Podemos fazer isso!

E foi uma felicidade total. Quando chegamos em casa, ele mesmo escreveu a cartinha e a colocamos debaixo do travesseiro na hora de dormir.

No dia seguinte havia 10 dinheiros no lugar da cartinha. Ele ficou tão feliz que passou uma semana falando disso para todo mundo. E mostrando a banguelinha também, né? Uma graça.


Então fica a dica para quem perder o dentinho, rs.

Bem que você poderia me contar se já passou por uma situação parecida não é? Como resolveu? Escreve me contando...

beijos, beijos e até o próximo post

Cidália

Inspiração de hoje

Nenhum comentário
Delicioso!!!

Curta Frozen: Febre Congelante - Trailer Oficial

Nenhum comentário

Genteee!!!!

Hoje, hoje mesmo, vai estrear nos cinemas o curta do Frozen!! Isso mesmo! 

Curta é um filme bem rapidinho que, nesse caso, vai ser lançado nos cinemas antes do filme Cinderela.

Em Frozen Fever, é o aniversário de Anna, e Elsa e Kristoff querem a dar a ela a melhor comemoração de todas, mas os poderes congelantes de Elsa podem colocar em risco mais do que a festa. Confira o trailer oficial.

Cinderela entra em cartaz hoje, dia 26/03/15, e vale a pena dá uma conferida. Corre pra comprar os ingressos e a pipoca.



Para dá uma animada aquelas mãe que vão fazer a festinha de aniversário do tema (tipo eu!), aí vão algumas imagens bem legais que garimpei na net:




Dá pra fazer cubos de gelo com gelatina azul,
que normalmente tem sabor tuti-fruti












beijo e beijos,

Cidália


* Esse post não é um publieditorial, estou recomendando porque sou mãe de menina que adora o Frozen (quem não é, né?)

DIY páscoa: lembrancinha de páscoa simples e barata

Nenhum comentário
Gente, a páscoa está chegando, né? E vocês já caíram para trás com os preços dos ovos? Pois eu já! R$ 72,00 reais em um ovo? Sem condições...hahahaha rir para não chorar né meninas?

Nessa época, eu costumo dá uma lembrancinha para as professoras das crianças. Um gesto de carinho que acredito não ofender ninguém. Eu quando dava aulas, adorava receber esses mimos.

Mas diante dessa situação tão assustadora dos preços dos ovos, resolvi que eu mesma iria fazer os chocolates para as professoras. São 12... gente, ficaria muito caro comprar ovo para todas (e é chato esquecer alguém nessas horas, né?). Então, comprei forminhas de coelhinho, chocolate para derreter e embalagens fofíssimas para caprichar nas lembrancinhas. Resultado: uma meleca! Comprei o chocolate errado e ficou muito ruim e duro. Ia até mostrar o passo-a-passo pra vocês, mas ninguém merece! Não levo o menor jeito para fazer doces (comecei a valorizar demais quem leva).

SOLUÇÃO

Minha opção foi comprar um bombons e caprichar na embalagem. Ah, nessa parte das embalagens eu sou boa. Comprei os bombons num site de compras coletivas mesmo, para não gastar muito. Aliás, essa é uma ótima dica, meninas. Comprei uns bombons finos e bem gostosos (já havia comprado com essa loja antes, ela fica aqui em Brasília) e coloquei dentro desses cones que parecem cenouras. Embrulhei com papel transparente (que você encontra em qualquer loja de doces e o cento não é caro), passei uma fita e tcharammmm: uma lembrancinha linda para todas as 12 professoras.

Olha ai o passo-a-passo:






Fonte: http://espacoeducar-liza.blogspot.com.br

Super simples! E você ainda pode usar o papel que tiver em casa. A imagem do coelhinho está logo abaixo, não está com uma boa qualidade (desculpe-me), mas ai vão outras sugestões de tags prontas para impressão:





Eu gostei muito do resultado e ficou super em conta.


beijos, beijos
Cidália


Lista de compras de supermercado para imprimir e editar

Nenhum comentário
Olá pessoal, tudo bom?

Vem cá, quem já chegou no supermercado e disse: devia ter feito uma lista! Quem nunca, né?

Pois então, mãezocas... eis aqui sua lista. Fiz com muito carinho com os principais itens que geralmente uso lá em casa.
E ainda tem uns espacinhos no final para você inserir com o que precisar. A lista é totalmente editável, então personalize como preferir.


Minha sugestão é que você faça várias cópias (frente e verso ajuda o ambiente, rs) e pendure na porta da geladeira. Assim que sentir falta de alguma coisa, anote.

Para baixar a lista é só clicar no link abaixo e você vai ser redirecionado para a página do PagSocial, que é uma forma de você ajudar a divulgar o meu trabalho para mais pessoas :)

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR a lista



Depois quero saber o que vocês acharam heim?

beijos e beijos
Cidália

Tabela de sono atualizada

Nenhum comentário
Olá mãezocas... tudo bem?

Hoje o post é só para dá uma atualizada em uma informação que dei no mês passado sobre a tabela do sono.

A National Sleep Foundation (Fundação Nacional do Sono), organização americana especializada no tema, divulgou uma tabela atualizada com a quantidade ideal de sono que cada um de nós precisa, de acordo com a idade.
Para reformular o quadro, a instituição fez uma ampla pesquisa durante dois anos com pessoas de diferentes idades, hábitos e origens. De acordo com Magda Lahorgue Nunes, do Departamento de Neurologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, os resultados também valem para o Brasil: "Seguimos as recomendações internacionais". 
A principal novidade da tabela americana foi a inclusão de margens que não são ideais, mas aceitáveis. Por exemplo: o ideal é que um bebê de 4 a 11 meses durma de 12 a 15 horas por dia, mas tudo bem se o sono for um pouco menos - de 10 a 11 horas - ou mais - de 16 a 18 horas. "Existem indivíduos com mais ou menos necessidade de sono. De qualquer maneira, as crianças devem dormir mais", explica Nunes. Além de ser essencial para o descanso e fixação do aprendizado, é também durante a noite que o corpo libera os hormônios do crescimento em maior quantidade. "Por isso, a hora de ir para a cama também faz toda a diferença", afirma a neurologista.
Segue a nova tabela de sono divulgada pelo órgão:
Fonte: Revista Crescer

A soneca conta?

Um estudo recente, realizado por pesquisadores australianos, sugeriu que as sonecas durante o dia, a partir dos 2 anos de idade estariam relacionadas a uma dificuldade maior de dormir à noite. Magda Lahorgue Nunes discorda. "A soneca em crianças acima de 2 anos só pode atrapalhar o sono noturno se tiver duração acima de uma hora e se ocorrer após as 16 ou 17 horas. Nesta idade, recomenda-se a soneca da tarde logo após o almoço", explica.


Quanto mais informação melhor, né?
beijos e beijos,
Cidália

Indicação de 5 livros legais!

Nenhum comentário
Olá mãezocas, tudo certinho por aí?

Hoje queria falar sobre cinco livros bem fofinhos que encontrei numa livraria, também bem fofinha, mas isso não vem ao caso.


Número 1:

A verdadeira história de Cachinhos Dourados

Autor: Santo Natalli
Editora: Brinque-Book




Neste divertido livro, Papai e Mamãe Urso decidem convidar Cachinhos Dourados para ficar com eles na esperança de que ela seja uma boa influência para seu travesso filhote, o Ursinho. No entanto, Ursinho não gosta nem um pouco dessa menina metida e certinha; e Cachinhos Dourados, por sua vez, acha o filhote um verdadeiro “urso” duro de roer. 

Essa pincelada bem-humorada do que acontece antes da história narrada pelo famoso conto de fadas começar é lotada de novidades (como um pop-up da casa dos Três Ursos) que vão dar vida e adicionar ainda mais diversão à leitura!

Valor: R$ 38
Faixa Etária: a partir de 3 anos


Número 2:

... E o príncipe foi pro brejo!

Autor: Suppa
Editora: Folia de Letras



O livro começa assim: e a princesa se casaram e viveram felizes para sempre. Diferente, né? Um livro que começa assim só pode ser muito, mas muito divertido. Vale à pena a leitura para os pequenos.

Valor: R$ 32
Faixa Etária: a partir de 3 anos


Número 3: (meu preferido)

O livro com um buraco

Autor: Hervé Tullet
Editora: Cosac Naify



O livro é grande e vermelho, mas tem algo nele que chama ainda mais a atenção: um grande buraco no meio da capa - e em todas as suas páginas. Pode parece um defeito de fabricação, mas fique tranquilo: não é.

A proposta é convidar o leitor a interagir com o objeto livro de inúmeras maneiras diferentes: vale colocar o rosto, enfiar o braço, fazer dele uma cesta de basquete e tudo mais que a inventividade permitir.

Não se engane: este não é um buraco vazio. Dele surgem coisas inimagináveis. O buraco pode ser a boca de um monstro horripilante - e aí o convite é para fazer os dentes afiados com os dedos - ou uma panela fumegante para desenhar - em uma folha de papel colocada sob o livro - a comida mais saborosa.

É um livro praticamente interativo. Os pequenos adoram e dura muito mesmo. Detalhe: super baratinho. Recomendo demais.

Valor: R$ 15
Faixa Etária: a partir de 3 anos


Número 4:

Vambora, Tá na Hora!

Autor: Palavra Cantada
Editora: Melhoramentos



Este lançamento em parceria com o Palavra Cantada promete colocar os baixinhos para cantar e aprender novas rimas. O livro conta a história de uma família que mal via a hora do fim de semana chegar para cair na estrada e fugir da cidade grande. Uma história cantada divertida e muito animada.

Valor: R$ 30
Faixa Etária: a partir de 3 anos


Número 5:

Contos Para Sonhar - 10 Contos Para Sonhar a Noite Inteira

Autor: Carmen Gil


Esse livro é O livro para ser contado para os pequenos antes de dormir. Simplesmente porque ele trata de temas que as crianças mais têm medo: pesadelo, não consigo dormir, quero dormir na cama do meus pais, o senhor dos sonhos, etc.

São 10 historinhas são curtas (estamos cansadas né?) e bem objetivas que vão direto no ponto para tranquilizar os pequenos antes de dormir. Ele ensina até algumas ´técnicas´ para não sentir medo do escuro. Meus filhos pedem muito que eu leia esse livro antes de eles dormirem.

Valor: R$ 40
Faixa Etária: a partir de 3 anos


Então, tem algum livro bacana pra indicar? Diz ai...


beijos e beijos e até o próximo post.
Cidália

Carrinho de bebê: antes de escolher observe... (2 de 2)

Nenhum comentário
Olá meninas, como estão? Eu estou muito bem também.  :)

Como prometido, voltei para terminarmos nosso papo sobre os carrinhos. Parei nessa perguntinha aí:


     4.    Você quer fazer atividade física com o bebê?
       Não.

Na época em que meu filho mais velho nasceu, não tinham muitos carrinhos para essa finalidade. Eles geralmente têm três rodas e são bem fácies de abrir e fechar, então é uma opção a se considerar além do guarda-chuva.



     5.    Precisa que o bebê durma no carrinho?
      Sim.

Até os dois meses, mais ou menos, meus pequenos dormiam no carrinho, que ficava ao lado da minha cama. Não tinha espaço para berço no quarto, então essa foi a melhor opção para mim. Além disso, costuma levar os pequenos para muitos passeios no meio das manhãs e tardes e eles tiravam aquele famoso cochilinho.

Aqui está uma desvantagem dos carrinhos modelo guarda-chuva: eles são pouco acolchoados. São bem fininhos, tem uns que são até duros mesmo.

Mas para solucionar isso, fiz (eu não, minha mãe linda!) um colchãozinho no tamanho certinho do carrinho. É como se fosse uma manta mais grossa, bem mais grossa mesmo. Logo no início, nos três primeiros meses, usei um travesseiro porque eles [os bebês] eram bem frágeis, a coluna não estava firme ainda. Depois disso, substitui o travesseiro por esse colchão feito por minha mãe. Problema resolvido.

Comprei um desses só para ficar na casa da minha mãe (ia muito pra lá). Ele é bem durinho, mas com o colchão ficou fofinho. Esse aí da foto é incrivelmente barato. Vale o investimento para deixar num lugar que você frequenta bastante.



Os grandões são tipo esses:






Lindo, não? Mas não cabiam na mala do meu carro!

Então, meu conselho: avalie sua necessidade e compre o melhor carrinho para você

Claro que algumas mães têm experiências ótimas com os carrinhos grandes, mas para mim funcionou super bem esse guarda-chuva e é o que recomendo.

Analise direitinho quais as situações que você vai precisar e faça sua compra.

Comente aqui em baixo o que achou das dicas.


beijos, beijos e até o próximo post.
Cidália


Carrinho de bebê: antes de escolher observe... (1 de 2)

Nenhum comentário
O que você achou do carrinho de bebê que escolheu? Grande? Pequeno? Pois é... difícil, né? São tantas opções: com bebê conforto, três rodas, quatro rodas, com suporte para tudo, guarda-chuva... que desespero!!!

Sei como é. Passei por isso e vou te contar umas verdades que vão te fazer economizar tempo e dim dim.

Antes queria que pensasse nas necessidades que o carrinho precisará atender (e isso vai fazer uma super diferença na hora da compra). Pensou? 

Então, nessa primeira parte do post, vou fazer 3 de 5 perguntas para ficar mais didático ... e curtinho, :) .

Considere essas situações como parâmetro:

       1.    Você manuseará (abrir, fechar) o carrinho sozinha quando for sair com o bebê? Ou terá ajuda?

       2.    Você tem filhos mais velhos?

       3.    Você costuma carregar muitas coisas com você quando saí com o bebê?

      
Vou responder a essas perguntas como se estivesse na época da minha primeira gravidez e comentar o porquê de delas fazerem toda a diferença. Só para saberem: optei por comprar um carrinho guarda-chuva, igual a esse ai:




     1.    Você manuseará (abrir, fechar) o carrinho sozinha quando sair com o bebê? Ou terá ajuda?
      Sim, sozinha. Não terei ajuda 

Na maior parte das vezes saía sozinha. E mesmo quando saía com meu marido, mãe ou irmão o carrinho guarda-chuva era ótimo. Simplesmente pelo fato de que ele é super fácil de se manusear. Quando se está sozinha com uma criança pequena, o que queremos é praticidade e facilidade.

Têm carrinhos enormes, difíceis de dobrar, cheios de porta coisas que pode até te atrair com tanto espaço disponível, mas, na verdade, eles são pouco práticos e dão muito trabalho para serem abertos, fechados e carregados. O guarda-chuva não: empurra um negocinho com o pé, joga pra frente e ele está fechado. Prático.

Como nos primeiros meses saímos quase sempre sozinhas com eles (a não ser que tenha babá, o que não era meu caso), é bom ter um carrinho de fácil manuseio para não se enrolar toda.


      2.    Você tem filhos mais velhos?
        Não (na época).

Mas se tivesse, como tive, continuaria com o guarda-chuva. Aliás, meus pequenos usaram o mesmo carrinho, aproveitei muita coisa apesar de ter tido um casal.

Com duas crianças tudo fica mais demorado, então esse modelo de carrinho foi muito útil porque colocava a mais nova no bebê conforto do carro enquanto o mais velho já ia se posicionando na sua cadeirinha. Depois de colocar o sinto nos dois, era só fechar o carrinho e colocar na mala do carro.

Ah, muito importante: por ser pequeno, esse modelo cabe em qualquer porta malas, diferente daqueles outros enormes. Outra vantagem.

Olha como ele fica super
magrinho fechado


       3.    Você costuma carregar muitas coisas com você quando saí com o bebê?
         Sim.

Como o modelo guarda-chuva não tem muito lugar para guardar quase nada (geralmente eles só têm uma redinha em baixo), você se obriga a sair de casa com apenas o necessário e não com sua casa inteira.

Olha a redinha ai 

Perceberam que gosto desse carrinho, né? :) 

Comente aqui em baixo qual o melhor modelo de carrinho para você.


E volte na próxima quinta, 12/02, que postarei a parte 2 do tema. Espero por você!


beijos, beijos 

Cidália