Preparando-se para o segundo filho: 3 de 3

 E para finalizar a série, vamos falar de empoderamento.

Notei que meu filho mais velho adora elogios (quem não gosta?). Então, quando estava grávida, comecei a dizer coisas com as quais ele se sentisse grande, importante e útil. Tudo para quando a pequena nascesse ele não se sentisse deixado de lado.

Falava coisas do tipo:

- Meu filho, agora você é o irmão mais velho, precisa fazer as coisas bem direitinho para que sua irmã aprenda com você.


- Você já é grande, quem é bebê agora é sua irmã. 


- Ensine para ela como se faz (tal coisa). Você já aprendeu, né?


- Sua irmã me disse que gostou muito quando você explicou para ela o que era isso. (detalhe: ela tinha uns 6 meses)


- Você pode pegar aquela roupinha/fralda/pente para mim, por favor? Você já sabe pegar a roupinha/fralda/pente da sua irmã né?


- Filho, coma tudo aí pra sua irmã ver como é raspar o prato!



- Olha, filha, olha como seu irmão sabe guardar os brinquedos dele. Fique olhando para você aprender quando crescer.



- Filho, agora que você já é rapaz, pode me ajudar a lavar os pezinhos da sua irmã. Que tal? (e deixava ele lavar o pé dela)


Nunca pesquisei a fundo sobre o assunto para saber se é recomendado ou não fazer isso, mas deu super certo. Ele se sentia importante, empoderado mesmo. Frases como essas iam deixando ele mais seguro e ensinando, aos poucos e com sutileza, que cada um deles têm o seu lugar na família e que um não vai ocupar o lugarzinho do outro.

É isso, meninas. Com essas três dicas acho que dá para fazer uma boa preparação. Não tive muitos problemas e ele sempre foi bastante carinho com a irmã. 

E vocês têm alguma dica para compartilhar?


Espero que tenham gostado. Até o próximo post.


beijos e beijos,

Cidália

Nenhum comentário

Postar um comentário