Mãe é sinônimo de culpa, por que?


Oi meninas, hoje quero contar um episódio que me aconteceu semana passada (um desabafo).Estava eu levando meu filho para a escola, desligo o carro e comento e voz alta: ´putz, filho, hoje é dia de natação e a mamãe esqueceu de trazer as coisinhas´.


Rapidamente olho pelo retrovisor para ver se ele escutou o que eu disse. Quando chegeui meus olhos no espelho ele já estava me olhando; fez aquela cara de triste e perguntou ´você não trouxe?', balancei a cabeça fazendo sinal de não e então eu escuto: buaaaaaaaa. E a sinfonia do choro começa. 

- Podemos voltar?
- Não dá tempo, o portão vai fechar.
- Mas você me disse ontem que tinha natação, você sabia.
- A mamãe esqueceu. Pedi pra você me lembrar e você não lembrou. Minha última tentativa desesperada de jogar a culpa pra ele e ficar tudo bem.
- Buaaaaaaaaaa....

Não deu certo. Claro, né? A adulta sou eu, a responsável sou eu, a culpa é minha. TODA MINHA, CULPA. Sabendo o tanto que ele gosta de piscina e vendo o choro sentido que não calava, fiz o que qualquer mãe faria: ´ok, vamos voltar´. A culpa era minha mesmo e me partiu o coração quando ele disse que não faria atividade nenhuma enquanto os amiguinhos estivessem na natação. Mais culpa.

Três minutos depois que eu disse que iríamos voltar, ele já estava contando piadas e com o rosto seco, sem uma única lágrima. Já tinha dito que iriamos volta, né, então, lá fomos nós. Pisei o pé no acelerador do carro (que meu marido não leia, desculpa amor) e fui que nem uma louca pra casa pegar o material. Vocês acreditam que no meio do caminho ele ainda pediu para parar porque ele queria fazer xixi? É dá pouco valor a minha cula, né? Sapequinha...

Como não moro muito longe da escola dele, consegui chegar em casa, pegar as coisas e voltar para a escola em uns 15min e antes do portão fechar. Aliás, fomos os últimos a entrar antes que ele fechasse. E ainda tive que escutar um ´tá vendo, mamãe, eu disse que dava tempo´antes de deixá-lo em sala.

Agora, vem cá, por que somos assim? Nos sentimos culpadas por 
tudo? Me deu um remoço no coração quando ele começou a chorar e dizer que ele seria o único a não participar... que a gata dele (paquerinha) ia e ele não ia ter a chance de ensinar ela a nadar (meu pequeno já nada bem) que não consegui ter outra reação a não ser voltar. Cheguei super tarde no trabalho, mas deu certo.

Quando fui pegá-lo no fim do dia, a primeira coisa que ele fez foi me dá um mega abraço e dizer que a aula de natação tinha sido ótima, a melhor da vida dele. Pronto, a culpa foi embora: valeu (e muito) ter pego trânsito, corrido pra caramba, chegado tarde ao trabalho, tudo foi pago ali naquele minuto em que ele me disse aquelas palavrinhas mágicas. Ele também disse que outras crianças não fizeram a aula, que elas nunca fazem, porque os pais não deixam. Mas essa parte eu nem escutei direito.

Não sei porque nos sentimos culpadas por tudo, mas essa fase, quando eles são pequeninos, é tão gostosa (imagino que todas sejam) por causa de ingenuidade, da doçura, do carinho que de vez em quando passar por uns apertos como este é que me faz sentir que estou vivendo momentos importantes com meus filhos (até momentos de aventuras como esse). Valeu à pena e faria outra vez. Porque passa... e passa rápido demais para eu perder meu tempo me lamentado. Quero mesmo é aproveitar.

bjim,
Cidália

Nenhum comentário

Postar um comentário