O que tem na mochila da creche?

Meus pequenos foram para a creche muito cedo, aos 7 meses (tive muita sorte porque no meu trabalho tinha creche até os 3 aninhos). E noutro dia, encontrei uma amiga que estava para colocar a pequena na escola e ela não sabia ao certo que deveria colocar na mochila.

Bom, isso pode variar entre as creches e geralmente a coordenação dá uma listinha do que eles vão precisar. 

Neste post vou dizer o que eu colocava e o porquê dessas coisas:

1. 8 mudas de roupa: parece muito né? Mas meus filhos eram bebê quando entraram e neném suja muita roupa mesmo. Eu preferia mandar um monte de muda a eles ficarem com a roupa suja de comida ou molhada. O volume de roupa lá em casa sempre foi grande por causa disso, mas acho que compensa. E sempre colocava roupa para qualquer clima. Aqui em Brasília o tempo é meio louco, amanhece um frio danado, meio-dia está um calor enorme e mais à tardinha já começa a esfriar novamente. Então, para não passar nem frio nem calor, mandava mudas variadas. Lá pelos 2 anos resumi para três mudinhas.


    2. Toalha de banho: eles sempre ficaram no integral, então tomavam banho na creche. Trocava a toalha todos os dias. Digo isso porque algumas mães colocavam para secar toalha daquele dia (que normalmente vem molhada e dentro de uma sacola plástica) e a reutilizava no dia seguinte. Não sou contra (é mais prático porque suja mesmo menos roupa), mas optei por trocá-las todos os dias. Claro que tinha um estoque enorme, umas 8 ou 9 para cada filho.


3. Fraldas descartáveis:  8 ou 9 por dia. Muito? Que nada... na creche elas trocam mais vezes do que em casa mesmo. E prefiro assim, em casa somos nós que damos o tom e na escola prefiro que meu pequeno seja trocado a qualquer xixi ou cocô a ele ter que ficar mais tempo com ela molhada e causar uma assadura, por exemplo. As professoras são muito cuidadosas, mas nunca economizei nesse quesito.

     4. Necessaire: toda criança de creche tem um kit próprio de higiene pessoal. Nele vão: shampoo, perfume (não mandava para a escola), escova de cabelo, pomada para assadura, sabonete, escova de dente e condicionador (para os maiores), etc. De tempos em tempos (no meu caso 2x ao mês), a escola envia essa necessaire para serem higienizadas pelos pais em casa. Geralmente as escolas não usam cotonetes nem cortam as unhas, parte dos pais também.
Não mandava perfume para a escola porque tinha receio que elas usassem demais ou em lugares que não queria, bochechas por exemplos. Sou chatinha mesmo nesse aspecto.

5. Chinelinho: para os bebês eles pedem meias. Recomendo comprar sempre as que são antiderrapante porque mesmo que eles não andem ainda, vai saber se não querem dar um passinho ou outro... e a meia ajuda. Além disso, é mais segura porque evita que eles escorreguem.

Quando eles começam a andar passam a usar o chinelo porque vão pro parquinho e tudo mais. O chinelo vai na segunda e volta na sexta, para ser lavado. Mandava sempre os tipo ´havaianas´mesmo: de borracha, não escorrega na hora do banho, fácil de limpar no fim de semana. Na época do frio aqui em Brasília, gostava de mandar a Crocs (ou imitação porque eles perdem rapidinho). Isso porque quando estava frio era só colocar uma meia e podia brincar lá fora. Quando estava calor podia usar sem meia que também era fresquinha. Versátil!

6. Retirando a fralda: nessa fase tive que mandar mais roupas e mais calcinhas, muito mais. Eram 10 por dia, 50 por semana! Comprei as mais baratinhas mesmo porque aja orçamento, né? Bom, foram tantas porque assim que ela fazia qualquer coisinha as professoras a trocavam. E era um tão de fazer xixi toda hora. No início é assim mesmo.

7. Lençóis: para os que dormem, há necessidade de mandar dois lençóis: um de elástico e outro para cobrir. Tranquilo.

8. Objeto de apego para o sono: meus filhos sempre dormiram com um paninho desde pequenininhos, acredito que isso ajudar a acalmar. Então mandava uns 4 por dia. Também pode ser um bichinho de pelúcia, uma boneca. Nesses casos, ou vai e volta todos os dias, caso a criança só tenha um, ou vai na segunda e volta na sexta.


Vale lembrar que tudo deve ser identificado com o nome da criança para evitar trocas (que volta e meia acaba acontecendo, normal). Para identificar as roupas usava caneta de tecido, mas com o tempo elas acabam desbotando. Para os sapatos e objetos laváveis usava (ainda uso) uma etiqueta lavável (maravilhosa) que compro pela internet nesse site aqui.

Espero ter ajudado.

bjim,
Cidália

* Este post não é publieditorial

Nenhum comentário

Postar um comentário