Escolhendo a escola



Como escolher uma boa escola?

O que devo observar?

Estas foram algumas perguntas que me fiz quando fui escolher a escola do meu filho mais velho (minha pequena fica na creche do meu trabalho). Então o que eu fiz? Entrei na internet e procurei um monte de escolas. E o que acontece? Me perdi mais ainda... são inúmeras opções, várias atividades extras, infraestruturas excelentes, mas, depois de muita pesquisa, desenvolvi um método relativamente simples e fácil para achar uma boa escola. Vamos por passos:

1. Defina os critérios que são importantes pra você. Quais atividades você gostaria de ver na escola do seu filho (esportes, artes, inglês)? Qual o horário de entrada e de saída? Tem atividades extracurriculares? Quero uma escola religiosa? É respondendo a perguntas desse tipo que você achará os critérios importantes para você. Anote-os em um papel e aí sim você entrará na internet para saber quais escolas oferecem o que você procura (procurei primeiro nos sites para depois ir à escola mesmo). É claro que pesquisando você poderá mudar de ideia com relação a um critério ou criar um novo. É assim mesmo. No meu caso, criei uma planilha no excel com os critérios que eu queria e fui escrevendo os detalhes. Clique aqui e veja a planilha (retirei o nome das escolas, ok?). Os meus critérios foram:

o   localidade (perto do meu trabalho ou da minha casa)
o   Informática
o   Inglês
o   Natação (ou outro esporte)
o   Horário de entrada e saída
o   Mensalidade (claro!)

2. Entre nos sites das escolas e veja se elas possuem os critérios que você definiu. Depois disso, escolha quatro ou cinco e vá até elas para conhecer de perto as instalações, tirar suas dúvidas e fazer sua escolha final.

3. Escolha uma escola perto do seu trabalho ou da sua casa. Assim fica mais fácil no caso de uma emergência. Pense na sua rotina e como a ida e a vinda até a escola se encaixaria nela. Não adianta nada você escolher uma escola maravilhosa, mas a duas horas do seu trabalho ou casa. Vai ser muito difícil você levar e pegar seu filho todos os dias e isso vai tornar sua jornada diária muito mais cansativa. Poupe-se!

4. Veja se há o sistema de plantão na escolha preterida. É um horário antes e depois de começar e terminar a aula que a crianças ainda pode ficar na escola com supervisão das monitoras. Isso é bem importante para aqueles dias de trânsito caótico ou no caso de uma reunião se estender além do horário de saída.

5. E claro: escolha uma escola que você possa pagar. Hoje em dia quase todas as escolas particulares são de boa qualidade e, às vezes, com a diferença de valor entre uma escola bem famosa e uma não, você poderia investir em atividades extras para seu pequeno, como futebol, artes, música, ballet, kumon, línguas. Isso também fará diferença da educação dele. Avalie se esse é seu caso.

6. Converse com a coordenadora sobre a metodologia adotada pela escola. Isso é muito importante porque há escolas tradicionais, construtivistas e isso pode influenciar na sua escolha. Vou fazer um parênteses aqui... certa vez, dava aula numa escola particular aqui de Brasília, e a coordenadora estava mostrando as instalações para um pai: piscina, quadra, etc. Então ele disse: ´ok, clube meu filho já tem, agora quero sabe a respeito do seu corpo docente´. Paw! Não que a infraestrutura não seja importante, também observei isso antes de escolher, mas também temos que conhecer a formação dos professores, métodos de avaliação, essas coisas, né?

7. Comece a procurar com pelo menos 6 meses de antecedência. Como não é uma pesquisa rápida (definir critérios, entrar nos sites, fazer ligações e ir até as escolas), você precisará se programar para encaixar todas essas novas tarefas na sua rotina já cheia. E o tempo é valioso. Sem contar que sempre há as listas de esperas, a preferência para irmão de aluno. No meu caso, comecei a pesquisar em agosto, escolhei a escola no final de setembro e meu filho foi o 14° da lista de espera. Programe-se porque caso contrário será difícil achar vaga na escola que você selecionou e você precisará colocar numa outra que não te agrade tanto por falta de opção.

8. Dica: convênios: muitos colégios oferecem convênios com diversas instituições. São parcerias que dão desconto na mensalidade. Aqui em Brasília a maior parte das escolas particulares possuem convênios com órgão públicos. Os descontos na escola do meu filho podem chegar até a 15%. Vale a pena a pesquisa.

Com relação aos meus critérios, posso avaliar o seguinte:
o Localidade: optei por uma perto da minha casa. Recomendo, viu? Fortemente.
o Informática e natação: são bem fraquinhos, mas as crianças adoram. Na informática eles só jogam, joguinhos educativos, mas não me preocupo tanto porque com essa geração de tablets e iphones essa molecada saberá mais que eu logo logo. A natação está mais pra recreação do que para ensinar a nada de verdade. Se quiser mesmo que eles aprendam a nadar, é bom colocar numa aula ´de verdade´. Meus pequenos, por exemplo, fazem natação desde os 8 meses. Recomendo. Veja aqui o post sobre isso.
o   Inglês: só em 2015, não posso avaliar.
o   Horário de entrada e saída: tem aquele plantão de que falei e me quebra um galhão. Recomendo.
o   Mensalidade (claro!): justa pra mim.

E você, quais foram os seus critérios? Qualquer dúvida me escrevam, ok? Vou adorar saber mais.

Um xero,

Cidália

Nenhum comentário

Postar um comentário